sexta-feira, 11 de abril de 2008

Diamante de Sangue



Ficha Técnica

Título: Diamante de Sangue

Título Original: Blood Diamond

Gênero: Drama

País/Ano: EUA/2006

Diretor: Edward Zwick

Produção: Edward Zwick, Paula Weinstein, Darrell Roodt, Graham King, Marshall Herskovitz

Roteiro: Charles Leavitt, C. Gaby Mitchell

Estúdio: Warner Bros.

Distribuição: Warner Home Vídeo

Duração: 138 min

Data Cinema: 05/01/2007

Elenco: Jennifer Connelly, Leonardo DiCaprio, Stephen Collins, Benu Mabhena, Ntare Mwine, Djimon Hounsou, David Harewood

Sinopse: No país africano Serra Leoa, na década de 90, o filme acompanha a história de Danny Archer (Leonardo DiCaprio), um mercenário sul-africano, e o pescador Solomon Vandy (Djimon Hounsou). Apesar de terem nascido no mesmo continente, têm histórias completamente diferentes, mas seus destinos são unidos por conta da busca por um raro diamante cor-de-rosa. Com a ajuda de Maddy Bowen (Jennifer Connelly), uma jornalista norte-americana, eles embarcam numa perigosa jornada em meio ao instável território.


Ponderações

O longa Diamante de Sangue aborda importantes segmentos que transformaram o mundo através dos conceitos neo-liberalistas.

Esses ficam por muito, encobertos pela temática Hollywoodiana, que sempre se vale de rostos conhecidos, explosões, paixões, heróis e obviamente o arrebatador triunfo norte-americano.

Apesar disso, é uma boa pedida. Excelentes atuações e ótima fotografia dão o tom.

Falarei nessa feita sobre alguns pontos sócio/político/ecônomicos/históricos apontados pela película de maneira exemplar:

Desemprego Estrutural

No caso referido ficam claros os problemas de desemprego estrutural sofridos na África. Por se tratar de um continente altamente explorado e possuir diversas riquezas naturais(marfim, ouro, petróleo, diamantes) a economia sofre com a instabilidade, afetando diretamente o emprego da mão-de-obra para o trabalho de mineração e extração desses recursos. O mau-uso na captação e no retorno dos lucros com a exportação traz uma evidente e assustadora desigualdade. Por outro lado, frentes revolucionárias nacionalistas tentam da sua maneira, lutar se valendo também, de seus valores e interesses particulares. Gera-se então, uma disputa de interesses entre governo e rebeldes. O “cidadão-comum” fica entre o fogo cruzado da guerra civil.


Globalização da Economia

Um dos fatores cruciais que levam à desigualdade social. Na África, o Estado têm seu poder reduzido, ou quase extinto. As fronteiras praticamente já não existem levando diamantes ilegais de Serra Leoa à Libéria, onde ali através de manobras “financeiras” se tornam legais e são enviados para a Europa, onde podem ser vendidos de maneira limpa. Nesse processo os diamantes por hora são escondidos a fim de manter os altos preços para venda e consumo e ampliar o mercado e seus concorrentes. É um processo excludente e que marginaliza. A exploração é feita na África onde a mão-de-obra é barata ou escrava, o transporte livre entre os continentes, a avaliação das pedras na Europa e a venda como produto final na América, principal consumidor de diamantes. O setor é controlado por um pequeno grupo que reinveste dentro de seu próprio segmento, concentrando e centralizando o mesmo através de outros grupos que não resistem à concorrência.


Dimensão Tecnológica

O conceito de dimensão tecnológica é aplicado pelos rebeldes da FRU no treinamento de soldados-mirins. São torturados psicologicamente, educados e instruídos a lutar só e somente pela causa extremista; aprendem a usar armamento pesado de maneira crua, isentando a responsabilidade dos mesmos sobre os riscos que causam a terceiros e a si próprios.


G-8

O grupo dos países mais ricos do mundo tem participação passiva no que diz respeito ao comércio ilegal de diamantes. Visto que os EUA são o maior consumidor de diamantes do mundo não seria inteligente ou lucrativo interferir de maneira ativa na prosperidade do negócio. Apenas quando os fatos são escancarados na mídia, e a participação de grandes investidores desmascaradas é tomada uma medida contra o comércio dos diamantes de sangue.

Desnível de Nações e Tensões Políticas

Evidentemente o lado mais explorado pelo longa. É notável a diferença grotesca entre países Africanos, Europeus e os EUA principalmente. Enquanto milhares morrem numa disputa política/econômica pelo controle do comércio ilegal de diamantes, do outro lado do mundo o consumismo impera de maneira ostensiva. A conseqüência gira em torno de um país quase desabrigado por completo, guerra-civil, soldados-mirins e exploração do meio-ambiente. É necessário observar também os objetivos e modo de vida dos Africanos. Pescadores e agricultores vivem de maneira quase que precária em aldeias, as poucas crianças que tem a oportunidade de estudo, caminham quilômetros para chegar à escola, e sofrem violência psicológica gerada pelos conflitos sociais. Por outro lado, a guerra tem pouco valor para o “resto do mundo” se o mercado for abastecido com os diamantes. Os políticos fazem “vista-grossa” desde que seus interesses sejam alcançados. Notam-se principalmente as manobras corruptas do exército sul-africano, que vende armas para rebeldes de Serra Leoa, e mais tarde os combate pela parte “limpa” da política.

Nenhum comentário: